terça-feira, 20 de novembro de 2012

Milagres Diários.



Passou o final de semana inteiro enfornada no quarto. Ouviu toda a coleção de discos de Rock de seu irmão e ainda tomou escondida uma garrafa (inteira) dum Don Perignon que seu pai trouxera de sua última viagem a França, pouco antes de quebrar com a empresa de advocacia que estava há três gerações na família. Quando ele descobrir que a garrafa da ‘ocasião especial’ se fora.... hummmmm!

Estava assim ‘meio que na fossa’ por conta da sua vida. Tudo estava tristemente condenado em sua adolescência. Fotos suas em situações constrangedoras foram divulgadas na web por uma ‘bad girl’ da escola, brigara com sua melhor amiga e se tudo já não fosse o suficiente ainda foi vítima da pior coisa que uma garota poderia conceber: uma espinha terrível bem na ponta do nariz...
- Cara, tô a cara da rena do nariz vermelho... Se fosse natal papai Noel ia me amarrar num trenó!!!

E como nada vem sozinho o carinha mais show de bola da escola inteira nem dá ideia pra ela. E fica pensando: Imagina se ele viu as fotos!! Morte social na certa!!

Mas a segunda feira estava por chegar e mesmo com a dor de cabeça causada por um bom vinho tomado de goladas (que pecado) ia ter que subir num salto e provar que era digna da reputação que criara durante esses anos todos! Pense se iria dar mole? Jamais!

Assim que levantou notou que o tempo abriu. O final de semana que fora chuvoso, maior pinta de cidade européia, sumiu como que por encanto, e o sol brilhava lindo, com apenas poucas e espaçadas nuvens no céu. Alias lindas nuvens por sinal. Abriu como uma verdadeira moldura abençoando começo tão belo dum dia que seria uma joça!

Desceu imaginando que a bronca por causa do Perignon seria ‘sinistra’, mas notou que mamãe estava especialmente carinhosa hoje. Era alguma coisa sobre uma tia doente que saíra do coma, sei lá... Coisa assim. Bom, valeu assim mesmo, né? Não sabia ao certo o que seu pai diria por conta do vinho, mas aí já é outra história.


Olhou pro relógio e descobriu-se atrasada... (que novidade!) agora só a amiga poderia lhe salvar passando aqui pra uma carona. Olhou pro celular e imediatamente lembrou-se da briga entre as duas. Quando imaginou que tudo poderia ser pior, notou alguns torpedos e dentre eles um da amiga dizendo: Olha, foi mal por tudo na sexta... Vamos deixar tudo pra lá... Te pego segunda cedinho, viu? Bjus!
Cara, como assim? Como pode tudo estar se ajeitando mesmo sem esforços hercúleos? (e que parada de ‘hercúleos’ é essa que nem sei o que significa?).

Confabularam pra caramba no carro até a escola sobre o final de semana das duas (uma sem a outra, coisa rara!), mas do que mais falaram foi das coisas da semana anterior e em como deveriam se vingar da tal bad girl da escola. Uh, que garota invejosa, cara!

Outra coisa que a estava preocupando era imaginar seus grupinhos e ela estava envergonhada demais pra sequer dar bom dia a alguém. Já imaginava os sorrisinhos falsos, as repercussões das fotos... Mas chegou e já tinha gente na porta pra ‘guiá-las’ até a sala... Parece que aquele final de semana fora muito sem graça pra todos, queriam amigos pra curar o marasmo! Ninguém disse nada, nem um risinho, nem olhar atravessado... Nada!

Algumas aulas de filosofia chatas depois e esbarrou como que do nada com o tal carinha. Meu Deus, como estou...? Só aí se lembrara da tal espinha sinistra que a deixara qual a rena de Noel... peraí... que espinha? Claro que se olhou no espelho milhares de vezes hoje. Como não notaria uma espinha sequer? Inda mais aquela monstruosidade!

- Oi.. Ele disse, como você está? Emendou.
- Eu, eu, eu...
- bom cê tá legal, né? Tô vendo!
- Ah sim, agora tô mesmo!
- Ei, sabia que vai rolar um grupo de estudos em geografia? Bom, eu vou, pois tô de recuperação esse bimestre, tu vem?
Ela era fera em geografia, mas num iria perder essa oportunidade por nada nessa vida.
- Claro, depois me passa as datas e os horários e estarei lá, com certeza! Sorriu enquanto segurava forte seus livros contra o peito.

Não podia acreditar... Ele quebrou o gelo, ele falou com ela! Impossível!
Doida pra contar a amiga até caçou o celular no bolso, foi então que percebeu que o perdera. Pronto, era o que faltava pra estragar o dia, celular caro, verdadeiro computador de mão. Se perder, papai me mata na certa, pensou!

Foi à sala de aula, perguntou pra galera, e nada! Pronto... ‘deu ruim’! Foi quando um senhorzinho da faxina disse:
- Procurando algo?
- Perdi meu celular, o senhor viu tio?
- Já procurou na sala de achados e perdidos?
Ela achava que ir a sala de achados e perdidos era pura perda de tempo com o perdão do trocadilho (e trocadilho ruim, claro), mas era só o que poderia fazer, então foi.

Chegando lá a coordenadora agiu com certa simpatia, coisa pouco peculiar, né?
- Dona, perdi meu celular... tá aqui?
- E como é?
- Preto, tela grande, coração de pedrinhas brilhantes. Inconfundível.
- Deu sorte, menina, quem entrega essas coisas hoje em dia?
Verdade pura, pensou. Antes de sair agradeceu muito e viu plástico colado no vidro da janela que versava:
“Nada é por acaso!”

Aquela frase lhe chamou a atenção de um jeito que até parecia sinal sonoro tocando pra saída! Ah, e era o sinal mesmo! Ficou imaginando o que havia feito pra esse dia ter sido tão especial... Mesmo sem expectativa de coisas boas pra hoje e ter vindo de um final de semana tão ruim.

Como que por milagre ou coisa assim lembrou-se de uma cena na sexta de madrugada em que encolhida entre seus travesseiros e edredom fez uma prece em meio as lágrimas:
‘Por favor, preciso de uma nova chance!’

Será que a prece sincera a salvara naquela segunda feira linda?
Sendo isso ou não nunca saberia, o fato é que decidiu aproveitar o ensejo e seguiu o fluxo da vida, afinal, alguém em algum lugar deveria amá-la mesmo!

Wendel Bernardes.

12 comentários:

  1. KKKK..
    A maravilhosa Graça De DEUS...ai...ai...
    bju, Aurélio.

    ResponderExcluir
  2. Lindo...Muito bom.
    Acho que vai sair um LIVRO disso ai...rsrs.
    Um abraço amigo.
    Fica com DEUS...sempre.

    ResponderExcluir
  3. W
    Sei bem o que é viver um drama precipitadamente rss
    Nada como você pensar que vai ser tudo um desastre e o oposto nos surpreender como presente.
    Mixxxxxtérioooo ;)
    Valeu pelo texto,
    R.

    ResponderExcluir
  4. Rê,
    esse mistério às vezes é simplesmente a vida mostrando que nem tudo é necessariamente fadado ao fracasso...
    Ou simplesmente são as preces respondidas!

    Deus sabe quando precisamos MESMO que algo se realize... Ainda que sejam coisas 'aparentemente' fúteis (pra uns ou pra outros).
    É a vida seguindo seu fluxo para a Vida!!!

    Beijos!

    ResponderExcluir
  5. Verdade, Regina!

    Antecipar a decepção é quase sempre pior do que a própria decepção...kkk..
    Hoje decidi apreciar a vida!!
    kkkk....

    ResponderExcluir
  6. Então, Ingrid...

    Também aprendi a relaxar.

    A gente se decepciona quando não entrega de verdade ao Autor da Vida, todas as nossas (pre) ocupações. Tristeza, tudo bem, a gente tem e administra, mas decepção, pra quem aprendeu a conhecer bem a natureza humana, já não cabe mais.

    Essa antecipação, esse estresse todo ante um fato, um acontecimento qualquer, no fundo, no fundo, é nossa pretensão de querer ser perfeita e que tudo aconteça conforme planejamos. Mas, quando aprendemos a confiar e entregar TUDO nas mãos de Deus, então descansamos em paz. E seguimos agindo, mas sem nos angustiarmos.
    Deus é maravilhoso!!!

    Beijo grande!

    Rê.

    ResponderExcluir
  7. Verdade...
    Bjos, moça!

    ResponderExcluir
  8. Ai que bom te achar novamente. Gosto tanto de seus textos e de repente você simplesmente sumiu.
    To seguindo!
    Fique na Paz!
    Abraços

    ResponderExcluir
  9. Que bonitinho ver as meninas interagindo! Fiquem a vontade e exerçam seus direitos de fazer um Blogueiro feliz, ou seja: comentem!!!!!!

    Beijos Ingrid (a anônima mais conhecida da Web) e Regininha!!!

    ResponderExcluir
  10. Oi Carol... Puxa que bom que você está aqui também!
    É que deletei meu Blog antigo (faz uns meses já) e acabei esquecendo de manter os contatos para avisar dos novos Blogs... (coisa de gente de sangue quente).

    Fique à vontade, Beijo grande!

    ResponderExcluir

Aqui escreve-se sobre ficção, ou sobre fatos à luz da mente do escritor. Assim sendo, cada um deles pode ser tão real quando uma mente pode determinar.
Seus comentários serão bem vindos se não forem ofensivos.

Ocorreu um erro neste gadget