sábado, 25 de fevereiro de 2012

Lembranças do Futuro...



Quando abriu seus lindos olhos verdes amendoados, a bela jovem de 22/23 anos continuou quietinha na cama, ajeitada desajeitadamente, com as pernas em forma de ‘quatro’, mania herdada de papai.

Uns minutos depois se levantou e antes de tudo ligou o PC. Era mais ou menos 10:00 e o sol já brilhava com tanta intensidade... Um belo sábado, 22 de Dezembro. O termômetro fervia. Da janela do pequeno apê que dava para a rua, notou um turbilhão de gente que se acotovelava buscando mais uma grande promoção de natal. Fazem jus ao que dizem dos brasileiros, deixamos tudo pra última hora... pensou e riu sozinha; quem sabe do povo de onde faz parte, quem sabe de sí mesma.

Ajeitou a longa cabeleira encaracolada cor de mel e pôs cachos atrás da orelha, como mamãe faria... “Mamãe...” lembrou dela de estalo!
Quando checou seu celular havia mais de dez chamadas perdidas, dois SMS, um correio de voz e um e-video, todos da mulher que ela mais ama na vida, também... só poderia ser assim, coisa de mãe e filha!

Era seu aniversario e mamãe jamais deixaria essa data passar sem lembrar, mesmo estando tão distante. Ela ganhou bolsa pra medicina em famosa instituição de ensino da maior cidade do país. Estava ainda se ambientando em Sampa. Aquele seria seu primeiro aniversário e natal fora de casa.

Quando checou sua caixa de correio notou duas cartas endereçadas a ela por seu irmão mais velho. Uma era um lindo cartão digital de natal com fotos da família e da infância dela, adolescência dele.... imagens em 5D de festas da família quando ainda eram quatro. O outro envelope, uma carta de aniversário escrita a mão (coisa difícil de se ver em pleno 2022), de cunho bastante emocionado que terminava com a seguinte frase; “Te amo, filha...” era assim que seu irmão a chamava desde quando ele tinha uns 10 e ela não passava de bebê de colo.

Pegou uma caneca de café e sentou-se em frente ao computador onde as lembranças fizeram-na achar dois velhos e desusados blogs, um de tom escuro, outro com cara de pergaminho...  Ambos continham fotos peculiarmente familiares
“Papai...”

Procurava naqueles sites antigos por algo escrito num 22 de Dezembro de 20 anos atrás e ao achar ficou muda. As lembranças vinham como que em ondas num maremoto de recordações profundas e únicas. Era impossível não chorar diante da saudade de seu velho agora não mais ‘aqui’. Os pensamentos lhe faziam perceber que ele, ausente hoje, foi também muito ausente antes...

Mas estava feliz em saber que era amada por sua família ‘perfeitamente imperfeita’ e que seu futuro, com ares de boa moça, havia sido traçado a base de muita intercessão e não pouca força humana.

Viu fotos, leu textos de papai, ouviu as mensagens de mamãe, guardou as missivas do irmão. Então uma frase antiga a fez chorar (mais uma vez). Era do saudoso pai, que escrevia em sua homenagem no seu Blog:
“Minha Estrelinha,
Meu amor por você é como uma árvore,
Mas o amor de Jesus por você é toda uma floresta...”

Essa frase, que o irmão também lembrava, era dita quase que diariamente antes de dormir e agora, ela não se sente mais tão só mesmo tão longe, pois sabe que além de sua família, pode contar com Aquele que lhe ama e que lhe acolhe nesses momentos únicos de vida.

Ouviu a buzina vinda da janela dos fundos. Era um rapaz alto, magro, moreno, simpático (e com um cabelo esquisitíssimo) que numa moto a aguardava descer para passar o dia junto dela, passeando ao sabor do vento.

Ela enxugou as lágrimas, deu meio sorriso e pediu uns minutinhos a mais... estava 'atrasada, igual a mamãe', pensou. Ao sair minutos depois, olhou o céu, jogou um beijo pro sol e saiu pra comemorar a vida com agora 23 anos...

Estava feliz e sabia que tudo correria bem enquanto confiasse nos ensinamentos de sua gente.
Seu nome é Sarah e ela não é mais um bebê, mas em seu coração sempre será a pequena de seus pais e de seu irmão.

Na lembrança dos vivos, ainda está seu chorinho de bebê e seu cheirinho de flor...
'Te amo, filha...
Parabéns pelos seus (agora) dois aninhos de vida,'



P.S.
Esse texto tem pelo menos três meses e fora escrito pela ocasião do aniversário da minha Sarinha e seria postado em meu Blog antigo, mas como alguns sabem ele foi desativado em meados de Dezembro último (portanto, antes do aniversário da minha pequenininha, que é no final do mesmo mês). Esse texto me leva às lágrimas sempre que leio e mesmo passando a data, não passou sua importância dele pra mim.
Grato.

Wendel Bernardes.

6 comentários:

  1. Muito lindo o texto mano. Escrever vem lá do fundo de nossa alma e nos faz viajar por momentos inesquecíveis. Pensar na família e curtir momentos de alegria juntos é divino.
    Cara, ainda bem que não perdemos contato. Agradeço ao nosso Deus por isso.
    Abração!

    ResponderExcluir
  2. Oi Tom... bom mesmo saber que estaremos juntos por aqui ainda!
    Forte abraço!

    ResponderExcluir
  3. Todas as vezes que leio o texto eu choro...é lindo!!!

    ResponderExcluir
  4. Oi Ingrid, eu também caio em lágrimas... não conseguiria lê-lo em voz alta sem pagar um mico DAQUELES!!!

    Valeu, menina!

    ResponderExcluir
  5. QUE FOFO...

    Chorar de saudade...de amor...de carinho...de felicidade...É BOM DEMAIS!

    Que DEUS abençoe Sarinha...sempre!

    ResponderExcluir

Aqui escreve-se sobre ficção, ou sobre fatos à luz da mente do escritor. Assim sendo, cada um deles pode ser tão real quando uma mente pode determinar.
Seus comentários serão bem vindos se não forem ofensivos.

Ocorreu um erro neste gadget