quarta-feira, 20 de março de 2013

Eles Estão entre Nós... O Grande Kenoah.



Um braço ergue-se empunhando aço nu. Ouve-se logo em seguida um brado que amedronta a alma dos mais bravos. Certamente esse grito de guerra não é em vão... Na verdade, nunca foi!

JERUSALÉM – SÉC. I A.C.
As ruas empoeiradas e escuras da “Cidade Santa” guardam segredos inacreditáveis. Aaliyah tenta voltar para casa, juntos dos seus, mas sente que está sendo seguida. Ela possui apenas dezessete anos e nunca deveria sair de casa desacompanhada, isso é uma desonra para uma moça de família, principalmente a essa hora da noite, porém isso se fez necessário. Aaliyah tem que sair a essa hora para buscar um pouco de comida na casa de seu tio Baruch.
A fome, ainda mais negra que a noite, a impulsiona a prosseguir. Ela está só pelos mesmos motivos que caminha a essas horas. Medo e morte.

Seu pai fora morto, pois se desconfiava que ele fizesse parte da nova seita dos Caminhantes. Bárbara e completamente brutal, a vida fez com que essa pequena flor do deserto se tornasse uma mulher em pouquíssimo tempo.  A comida é para partilhar com sua mãe Adina, às portas da morte.

A jovem tem medo de perecer pela peste que assola sua mãe. Tem medo de morrer ao fio da espada dalgum centurião subornado por algum dos herdeiros culturais e religiosos dum tal Caifás, que no passado recente, fora responsável pela morte de certo profeta.
E seu medo não cessa...
Teme ainda morrer de fome, teme ser pega por algum vilão bêbado sorrateiro...
Porém, e pequena mal imagina que seus medos deveriam potencializar-se. Ah, se ela soubesse...

Ela apressa o passo como que percebendo alguma atrocidade latente. Dobra esquinas e esgueira-se apenas com pedaço de pão, um tanto de azeite e duas tâmaras.
“Oh, Deus... Ajude-me!”

Alheia à sua prece, criatura monstruosa e demoníaca decide atacar apenas com um propósito: saciar sua sede de sangue.
A criatura firma sua força em quatro patas, rosna como fera louca e corre como sempre. Seus dentes destroçam carne há séculos, porém, quando a carne em questão se trata de uma jovem e assustada caminhante, tudo se amalgama a um estranho sentimento: o prazer.
Embora a menina sinta um medo que lhe gele a alma – mesmo sem saber do quê – jamais poderia arrazoar do que ela foge. Mas a criatura está cada vez mais perto, cada vez mais próxima de concluir sua sina; saciando sua sede...

Apenas alguns metros para que Aaliyah chegue ao seu destino. Apenas alguns metros para que o terror se apodere dela. Respirações ofegantes. Medo e prazer estão no ar... o demônio salta para seu propósito até que algo lhe corta as entranhas!
A criatura urra banhada duma gosma alaranjada e fétida. Vira-se para contemplar o que a atingira e fita figura gigantesca.  Corpo de bárbaro, rosto de homem, espada de guerreiro: e realmente o é!
Trata-se de Kenoah, um guerreiro celestial temido na terra dos homens, odiado nos baixos e inglórios locais e cantando em seu Reino sobrenatural.

A criatura conhece seu algoz, seus olhos queimam de fúria cega e na única e desesperada tentativa de vencer, lança-se insanamente contra seu oponente. Ele aguarda parado como estátua de mármore com seu aço dourado nas mãos e quando a fera se aproxima ele usa seu próprio peso e impulso para lhe atravessar o corpo demoníaco. Abraça-lhe firmemente e estende suas asas morenas dando impulso e saindo assim do alcance de qualquer olho humano.
Aaliyah? Está segura em casa alimentando sua mãe dessa vez. Isso até que a morte lhe bata a porta em mais uma oportunidade. Porém, se depender de seu mais novo guardião pessoal, nada será tão fácil assim.

Longe dali os sons de guerra se intensificam. Outros braços se erguem, urros demoníacos se fundem aos cânticos de batalha de seres nascidos para tal.
Onde agirão da próxima vez?

Wendel Bernardes.





2 comentários:

Aqui escreve-se sobre ficção, ou sobre fatos à luz da mente do escritor. Assim sendo, cada um deles pode ser tão real quando uma mente pode determinar.
Seus comentários serão bem vindos se não forem ofensivos.

Ocorreu um erro neste gadget